Sexo romântico também vale

22:33

Anie

Ele me empurra contra a parede de nosso apartamento logo após fechar a porta, durante a viagem de dois minutos no elevador posso ter provocado essa reação dele. Eu apenas tirei minha calcinha e entreguei pra ele, quem imaginaria que eu seria lançada contra a parede, erguida e sido forçada a prender minhas pernas em sua cintura? rs eu não.

Enquanto ele me beijava com paixão e saudade, fui desabotoando os botões de sua camisa, até que fiquei tão irritada com os malditos que estavam no meu caminho que dei um puxão, voaram pequenos círculos brancos pelo corredor. Senti seu sorriso no meu pescoço.

-Com pressa baby? falou em sua voz rouca e sexy, se eu estivesse usando calcinha tenho certeza que ela estaria encharcada agora. 

-Elas estavam no meu caminho, falei com dificuldade.

-Venha amor, vamos para o quarto preciso beijar cada centímetro do teu corpo.

Ele me ergueu e me levou direto para meu quarto no fim do corredor. Amo como ele é forte e pode me carregar. Henrique me depositou na cama, usando aquele sorriso de canto de boca que tanto me excita. Se aproxima de mim, puxa meu vestido preto que usei para o jantar de hoje, ele puxa até que chega aos meus braços, eu os ergo e meu vestido se vai...Estou apenas de sutiã enquanto ele me olha como um predador pronto para atacar sua presa, mas ah outros sentimentos em seu olhar que antes ão estavam tão evidentes, existe amor, esperança e saudade. Ficamos três meses separados afinal de contas, precisamos trabalhar em nosso relacionamento, mas o amor terá que nos manter, eu realmente espero. Me sento e tiro o sutiã, olhando em seus olhos e vejo o fogo que sempre aparece quando ele percebe meus seios, o cara os ama. Henrique se aproxima, pairando em cima de mim, então me beija apaixonadamente, trago minha perna a sua cintura querendo estar mais perto. 

-Tire suas roupas, AGORA- Falo em um tom de voz suplicante

-Calma amor, vamos fazer de vagar

-Eu não sei de vagar amor, por favor.

O bastardo apenas sorri, mas pelos menos se livra de suas calças, então em minha frente está a minha paixão, o meu retrato preferido, Henrique completamente nu. Sua tatuagem clama por meus dedos, eu me aproximo e sigo as linhas, passo minha língua por elas...

-Basta- ele fala em seu tom de voz autoritário-Se você continuar fazendo isso, irei te foder e preciso fazer amor com você.

-Oh.. é o som que escapa pela minha boca quando sinto seus lábios percorrendo meu pescoço, descendo e chupando meus seios, dando atenção a cada mamilo, com seus dedos e sua boca. Vai fazendo uma trilha intercalada de beijos e mordidas, então chega em minha virilha, inala profundamente e desvia...o insolente. 

-Por favor...

-Calma, vou provar cada pedacinho do seu corpo, tem noção de como senti falta dele? De você? de suas reações quando te toco, te beijo? 

Eu me derreto por dentro e decido deixá-lo com sua aparente caça ao tesouro.

Ele beija aquela área escondida atrás de meus joelhos e isso me deixa louca, estou quase no ponto de subir em cima dele quando ele começa a subir os beijos. Chega a minha boceta, que está pulsante por seus beijos, por sua língua e por seu pau. 

-Hm, esse gosto

Então sua língua entre em minhas dobras, ele me fode com sua boca enquanto circula com seu dedo o meu clítoris. Sinto o orgasmo se aproximar e explodo gritando seu nome. Dou um sorriso, porque apenas o meu homem pode me deixar tão satisfeita, olho pra ele que me olha com admiração e amor.

-Você é tão receptiva, tão conectada a mim

-isso é porque sou apaixonada por você, e creio que o fato de você ser tão quente ajude também. Agora se você não se importa poderia me comer por favor

-Nunca terá que pedir por isso duas vezes meu amor

Então vejo ele colocar um preservativo em sua seta, ele se posiciona entre minhas pernas e entra devagar, me deixando sentir cada pedaço desse órgão que tanto amo ele. Quando ele esta profundamente enterrado dentro de mim, nossos olhos se comunicam...

-Amo você Anie, foda-se buceta mágica que você tem baby

-Amo você também baby

Ele começa a se mover lentamente dentro de mim, em um ritmo constante.

-Rápido amor, por favor. Não consigo de vagar. -Suplico

-Precisamos disso assim, de vagar. Me deixe te amar com meu corpo.

E assim ele fez, me mostrou com seu corpo o quão perfeitos somos juntos. Senti seu ritmo aumentar, levei uma mão até a conexão entre nós alcançando meu clítoris. 

-Foda-se baby, se toque, isso é tão quente

Ouvi meus próprios gemidos, e soluços enquanto ele urrava como um homem das cavernas, o meu homem das cavernas, e juntos chegamos a mais um orgasmo. Pode não ter sido o mais arrebatador, porra loca, mas foi o mais especial. Finalmente tínhamos feito amor.


Você também pode gostar

0 comentários