Nas águas profundas (Annie e Henrique)

20:38

Annie


Era um dia quente, estávamos na praia eu e Henrique apenas. Havíamos alugado uma casa para passar o feriado. Acordei antes que ele e desci até a cozinha, em cima da bancada estava em repouso o jornal do dia anterior. A manchete de destaque falava a respeito da terceira mudança na tal da Lei Seca, e ao lado estava a minha foto, instigando a todos a lerem minha coluna. Por hábito nunca leio minha coluna, na verdade sequer leio qualquer coisa que escrevo. Apenas deixo o santo baixar e vai com o chefe. Nesse dia resolvi ler, era a minha opinião a respeito do sexo na adolescência. Tenho uma opinião forte sobre o sexo obviamente, escrevo sobre ele, o fiz muito na adolescência também. Recordei de minha primeira vez, a primeira vez com Henrique. Fiquei tão ligada que o calor somou-se com o calor ambiente. Subi as escadas a procura do meu biquíni, Henrique dormia tranquilamente resolvi não acordá-lo para que pudesse descansar. 

Fui correndo até o mar, precisava da benção divina, sentir toda a boa energia me puxando, me lavando e me purificando. Brinquei na água que nem criança, no dia anterior Henrique me ensinou a nadar, agora eu estava lá feito um peixe na água. Senti um calor perfurar minhas costas, me virei e encontrei ele me observando com um sorriso cheio de amor, vestindo sua sunga preta que fez com que eu lambesse os lábios automaticamente.

-Está de muito bom humor não é criança?

Falou em tom de zombaria, os olhos dançando com diversão.

-Sim estou, venha se divertir comigo amor- Falei fingindo um tom casual, mas sabia que ele pegaria meu tom.

Ele se aproximou, passou as mãos em minha cintura e levou sua boca na minha. Depois de um beijo de tirar o folego que me deixou tremendo de necessidade ele se afastou e me levou mais longe no mar...

-Henrique, pra onde estamos indo, é muito fundo!

-Amor, eu preciso te levar o mais longe que der, onde os banhistas não possam ver você gozar ao redor do meu pau.

Não tinha como questionar isso certo? Fui com ele, ate que ele decidiu que estávamos longe o bastante. Circundei minhas pernas em sua cintura e levei minha boca na sua. 

-Seu beijo tem um gosto tão bom baby- Falei com a voz rouca cheia de desejo, podia sentir seu pau duro pressionando contra a mim, então me balancei em sua direção necessitando desesperadamente dele em mim. Sua mão chegou até o tecido do meu biquíni, o afastando para o lado então pressionou seus dedos em meu clítoris desesperado por atenção. O primeiro dedo entrou, combinando com o movimento do outro em meu clítoris, sentia que estava prestes a gozar até que ele parou...

-Seu idiota, continue!

-Calma amor, eu vou comer você agora. Pense nas pessoas na praia, será que saberão que estamos fazendo sexo aqui? Na água, nossos corpos serão pegos na linha de visão deles?

Henrique sabia que isso tudo me deixava ainda mais excitada, assim apareceu seu sorriso de canto de boca. Então sem que eu percebesse, com um movimento firme ele estava dentro de mim. Todo, inteiramente em mim, comecei a montá-lo sem me importar que qualquer um visse. Fui atrás do meu momento mágico, e oh estava tão perto. O montei como montam-se os garanhões por ai, até que finalmente gozei com força. Suas estocadas ficaram fortes, até que seus dedos apertaram meus quadris firmemente então sua libertação chegou. Seus olhos no momento que estava gozando adquiriam um brilho intenso, de paz, energia, mágica e amor. O sexo é a ligação da vida, o orgasmo nosso pequeno Nirvana, estamos sempre a sua procura.


Você também pode gostar

0 comentários