Pais homossexuais #Tabu

11:58

Oi minha gente, tudo certo com vocês? Sendo hoje quarta-feira temos o dia do assunto considerado TABU em nossa sociedade, porém o blog aborta o tema! O assunto de hoje não é o homossexualismo em si, mas sim as crianças que são adotadas, ou geradas por um dos parceiros e como é a vida dessas crianças. Me surgiu a ideia de abordar esse assunto quando eu estava assistindo uma novela da Globo, pois é, quem diria! É a mesma novela que me deu inspiração para fazer aquele post super bem recebido por vocês: VEJA SUA PRÓPRIA BELEZA. A novela tem me prendendo devido  ao fato de vários assuntos polêmicos serem abordados, e obviamente a playlist, Nando Reis, Legião Urbana....Haha. Vamos lá então! Nessa novela existe um doador de esperma que eu apelidei como o "pai de todos", uma dessas inseminações feita com sua "semente", originou um casal de gêmeos, completamente opostos, mas isso não é o assunto agora. Estava eu assistindo, já irritada com a mulher do homem do casal de gêmeos, quando surge a história de ela ter inventado aos filhos deles um avô, sendo que a mãe dos gêmeos tinha era uma parceira. Os dois foram criados por duas mães. O rapaz estava desolado, completamente abalado com a situação, diversas vezes ele discutiu com a esposa declarando ter sido muito amado e que não esconderia sua outra mãe, e muito menos iria fingir ter tido um pai que não teve. A sua mulher declarou: "Como posso explicar a uma criança de sete anos que a avó dela é lésbica? Que ela tem três avós ao invés de duas?". Ao que ele respondeu: "Simples, dizemos a ela que a avó dela é uma mulher moderna, que amou intensamente e passou esse amor para os filhos". A discussão não termina por ai, eles vão a uma terapeuta e pessoal a história ainda esta sendo traçada na novela. Meu ponto é fazermos duas linhas de pensamento. Eu concordo que pode ser complicado para as crianças entenderem num primeiro momento que sua família é um tanto diferente das de seus amiguinhos na escola, talvez ela não entenda o porque seu avó é casada com sua avó, ou seu avô ama o seu avô. Mas no centro de tudo isso temos o amor. Percebem essa palavra sendo citada várias vezes? O constrangimento dessa criança existe porque ela é inteligente o suficiente para saber que o preconceito existe, e ele é forte. E vai tentar te derrubar, hoje por assuntos de opção sexual, amanhã por amar ler, ou comer de mais. Ele está ali, e a criança sabe. Ela pode sofrer a dor do preconceito sim, muitas crianças podem ser proibidas de andar com ela e ela vai chorar, então o que? Os casais homossexuais devem se separar? Ah claro, os negros devem se pintar de branco e os índios deixarem seus costumes de lado. Sim, vamos seguir as regras dessa sociedade. Tudo isso é preconceito, se você não deixa de ser negro porque seu filho esta sofrendo bullling na escola, então deixará de amar? Essa criança que pode sim ser deixada de lado pelos outros, recebe muito mais amor em casa que muitas dessas crianças que estão caçoando dela. Algumas vezes os pais desses que são filhos de um "relacionamento normal" são deixados sem amor, eles não deveriam ter vindo a vida mesmo. Agora outra coisa, pensem comigo. Quantos casais de homo largaram seus filhos em um rio gelado no inverno, ou em um saco de lixo. Quantas vezes eles agrediram ou estupraram suas crianças? Engraçado, não me recordo de nenhuma, mas enquanto escrevia essa frase me veio a mente mais de cinco casos em que um casal hétero fez exatamente isso. 
A questão não é ter uma família "normal", mas uma família que te ame. Se você tem medo de adotar uma criança com seu parceiro ou sua parceira, e está me lendo por favor, adote. Existem tantas crianças passando dificuldades, tantas crianças sofrendo e precisando de amor. Se você é hétero e leu o meu texto até o final, obrigada. Ensine aos seus filhos a amarem o próximo e não fazerem brincadeiras de mau gosto com aqueles que são diferentes, ou vêm de uma família diferente. Vamos dominar o mundo com amor, e torcer para que um dia a opção sexual, cor de pele, tamanho, ou gostos não sejam influência o suficiente para coisas horríveis em nossa sociedade. 


Você também pode gostar

0 comentários