Resenha: Fruto do Pecado - Nora Roberts

18:08

Recentemente ganhei alguns livros de uma conhecida, o livro “Fruto do Pecado” estava entre eles. Não fora o único exemplar da autora de destaque Nora Roberts e por ter em sua capa, dois cavalos, não me chamou atenção inicial.



O livro possui 223 páginas e é possível lê-lo em menos de uma pessoa, li em dois dias. A autora nos conta a historia de Aaron Murdock e Jillian Baron, dois jovens destemidos que pertencem a famílias rivais. Mais um clichê a lá Romeu e Julieta, todos sabemos como a história acaba. Entretanto, gosto de pensar que mesmo sabendo o final, o importante é conhecer o caminho. Não é assim a vida? Pois então, vamos a resenha de mais uma obra, da  autora que me faz ter sentimentos conflitantes. 


O livro -como todos da autora- tem uma grande história potencial, ele te envolve desde o início,  pois os personagens são muito bem estruturados e possuem alguma história. O casal de protagonistas é divertido, faz com que você torça pela relação. Após se encontrarem em um local que passará a ter grande valor para os dois, Aaron pede a Jillian para cruzar seu cavalo com a égua da moça. É muito divertido ver o duplo sentido que contamina essa cena. 


Jillian é administradora da fazenda que seu avô lhe deixou de herança,  o que provoca em muitos homens dessa cena machista, raiva e até desprezo. A jovem está indo muito bem, entretanto alguns roubos começam a acontecer. O primeiro pensamento? Claramente algo que um Murdock faria. 
A rixa entre as famílias existe ainda, mas a atração e o desejo dos dois não pode mais ser ignorado. O livro contará a vocês uma divertida relação maluca, mas que como ponto negativo não tem um final estruturado.


Gostaria de dizer a vocês que este é um defeito que tenho percebendo em vários livros da autora, ela tem um bom início, uma boa história e sabe desenrolar sua trama, mas não cria finais estruturados. Isso me incomoda bastante. Entretanto, sugiro a leitura, para um dia gostoso que esteja deitado na rede com um bom suco de laranja nas mãos.

Você também pode gostar

0 comentários