A guerra, a violência, o amor

18:10

As vezes o homem comum tende a recuar, uma estratégia de defesa valiosa, que desde os primórdios tem salvado vidas e diminuindo o número de baixas. É engraçado pensar que o contexto de "guerra" pode ser constantemente aplicado aos pequenos momentos do cotidiano humano. 

A guerra, a violência e o amor são elementos constantes na vida do hommo sapiens, ,mesmo que passivistas como esta que escreve sejam veementemente contra a violência. Mas o gancho principal de toda essa história encontra-se em uma pequena definição de o que é violência. Seria violência apenas uma agressão física? Ou privar-se de ser você mesmo também? Particularmente o conceito de violência é extremamente abrangente. Violência é não poder dizer o que sente, sentir-se só num ambiente rodeado por pessoas, violência é a fome, a desesperança. A violência é completa, larga e abrangente. Um elemento importante para os seres humanos. 

O amor. Ai esse sentimento danado, que nutre a guerra junto com a violência. É o amor por uma causa que gerou as grandes revoluções, o amor por uma mulher que fez o plebeu matar o rei. O amor não é pacífico. O amor não é violento. O amor apenas é. 

Numa situação de violência, contigo mesmo. Como você reage? Você se auto defende? Você ataca? Você ama? Qual sua estratégia?

Esse texto não foi feito para respostas. Ele foi feito para perguntas que jamais serão respondidas. 

Você também pode gostar

0 comentários