TCC - Transtorno Compulsivo de Choro regulamentado pela ABNT

01:14

O famoso TCC, ou monografia como é meu caso, é conhecido por ferrar com a sanidade mental dos estudantes de graduação. Sim! Nessas palavras mesmo: ferrar! A verdade é que todos que passam pela graduação (que tive o prazer de trocar uma ideia) dizem terem sentido na pele a pressão do trabalho de conclusão de curso.



A minha monografia já tem dois anos. Nesse meio tempo tive duas crises depressivas e nem sei quantas crises de ansiedade. Obviamente fatores externos ao TCC contribuíram para as minhas crises, mas devo dizer: a monografia virou catalisadora de lágrimas por aqui!
A pressão é tanta, as dificuldades são tantas que todos os dias eu acordo, tomo um café e mentalizo as tarefas diárias da mono. Aí eu levanto, vergonhasamente acendo um cigarro e tento "dar pé" em uma outra tarefa.

Mas a coisa fica complicada, pessoas ansiosas não funcionam sob pressão. Pelo menos não eu. Embora eu precise, também, de pressão pra funcionar. É confuso, né? Mas é que meu cérebro precisa estar na medida certa de cobrança, se não... simplesmente não rola! Como escrever páginas e páginas sem inspiração? As vezes a gente trava mesmo. É um assunto que deve ser tratado cientificamente, com palavras rebustadas e de acordo com as terríveis normas da ABNT.

As normas da ABNT são um capítulo a parte na trágica jornada de um ansioso na monografia. Cada vez que o sumário não atualiza corretamente, ou que o link não limpa ou que as normas mudam e a Dara de acesso deve ser escrita diferente da maneira que era antes, eu simplesmente tenho vontade de gritar.

Aí eu sento. Tomo um café. Vergonhasamente acendo um cigarro, choro um pouquinho, respiro fundo e volto a esceever. Afinal, a crise vai ter que esperar a entrega, a produção da apresentação e a defesa. 
Não dá pra fugir agora. 

Você também pode gostar

0 comentários