Lê um conto comigo? (Anie e Henrique)

21:44

Annie


Vamos amor, leia comigo. Era pelo menos a décima vez que implorava para que o teimoso do Henrique lesse o romance comigo, então tive uma ideia que tinha certeza o faria aceitar. -Seguinte, eu serei a Juliet e você o Jax, o que eles fizerem nós faremos. Percebi que em seu olhar que eu havia vencido, o sacana não tinha ideia, me deu vontade de rir histericamente. -Certo, então tudo bem.

Mirei em uma parte que estava lendo aos poucos, narrada por Juliet.

"Então ele me chamou de covarde! Explodi na hora, como se atreve? Eu nunca tentaria me matar jamais. -Você é uma covarde, princesinha, ninguém te ouve. Então a princesinha em questão acertou um sequência de socos em seu braço de arremessador"

Repeti os movimentos, primeiro me lembrando o quão egoísta ele foi por aceitar ler comigo apenas pela perspectiva de ter sexo, então o resto rindo da cara de traído de Henrique. -Você lê romance erótico, não documentários de luta livre, você me enganou pirralha! Me divertia com sua careta de dor. Então Henrique passou a ler a sua parte do livro.

"A coloquei sentada em cima da mesa da cozinha, suas pernas abertas fizeram a saia jeans subir ainda mais. Soltei seus cabelos permitindo que caíssem por seus ombros, sua boca inchada e vermelha de meus beijos estava aberta, tenho certeza esperando mais de minha boca na sua, mas obviamente isso não iria acontecer. Decidi que na cozinha o que fazemos? Comemos, iria degustar primeiramente a minha comida. Buscando na geladeira sorvete sabor abacaxi pesquei uma colher na gaveta, provei do sorvete- Hum delicioso, você deveria experimentar Juliet. Levei uma colher cheia do delicioso sorvete a sua boca em espera, então eu não dei para ela. -Seu merdinha, me de meu sorvete. Com pena da minha deusa sexy, levei a sua boca o delicioso sorvete, diretamente da minha...''

Ah não, falei sentada do balcão da cozinha, estava exatamente como o  personagem era descrito, mas eu odeio sorvete! Ele não se atreve...E foi, o bastardo me deu sorvete. Levando minha mão até seu pau endurecido, o massageei da maneira que sabia que ele amava, então dei um forte apertão. -Cadela! Me xingou com dor.

"Espalhei suas pernas abertas, levei o sorvete até sua boceta e provei da deliciosa sobremesa diretamente do meu alimento favorito, sua doce boceta. A chupei, lambi. Absorvi sua doçura misturada com a doçura do sorvete. Senti suas pernas apertarem em meus ombros, seus dedos puxando meu cabelo e o seu corpo estremecer, olhei para cima a tempo de ver minha menina gozando, como uma deusa ela fez mais uma vez meu coração parar."

-Ohh, eu certamente gosto dessa cena. Tenho certeza que sim Annie, e não posso dizer o quão apaixonado sou por essa cena também, seu gosto é fodidamente foda! Então ele me atacou, me chupou, me devorou. Meu orgasmo atravessou tão rapidamente que me deixou tonta. Quando finalmente abri meus olhos, Henrique estava encaixando seu membro deliciosamente duro e pronto na minha boceta. -Acho que não estava descrita no livro essa cena. Rindo maliciosamente percebi a caneta que mantinha na cozinha em suas mãos, ele rabiscava no livro! O desgraçado, meu livro! Oh Deus, não pare Henrique, mais forte amor, por favor mais forte. As súplicas saiam sem eu ao menos perceber, cheguei ao orgasmo pela segunda vez. Forte, duro e rápido, o melhor tipo de sexo. Enquanto controlava minha respiração e a obrigava a voltar ao normal, li o que o bastardo havia rabiscado: "Então ele a fodeu com força, como um homem louco e apaixonado que era.". Gosto de sua adaptação sabia amor? Ah é sorriu ele, irá gostar ainda mais se me acompanhar. Não tive nem mesmo tempo para responder, ele havia me jogado em seu ombro e subia a escada comigo carregada. Gritei e gargalhei pronta para mais um sexo fantástico.

Você também pode gostar

0 comentários