Porque eu virei vegetariana



Tomar a decisão de me tornar vegetariana não foi tarefa fácil, tem mais ou menos uns dois anos que estou "maturando" essa ideia e mais ou menos 3 semanas que resolvi colocá-la em prática. 

Sei que a maioria das pessoas têm uma grande ideologia por trás de uma mudança, que para gaúchos como eu, é bem radical. Mas a minha, se resume a uma coisa: meu amor pelo meu cachorro. Muita gente da risada e diz que o meu raciocínio não é lógico, que eu vou desistir e voltar a comer carne. Sinceramente, eu espero que vocês se ferrem (com muita educação, é claro).

Mas, vamos ao grande porque: certo dia, estava no ônibus indo trabalhar, e como bom lugar para terapia que é, resolvi parar de comer carne devido um único pensamento. Se o Teodor (meu cachorro) tivesse nascido uma vaca, eu o comeria? Foi ai que entrei em parafuso, abracei meu cachorro e percebi o quão hipócrita estava sendo. Defendia cães e gatos com unhas e dentes, repudiava histórias de pessoas que comeram carne de cachorro para matar a fome, e cá estava sendo bem pior...

A decisão estava tomada! Agora era hora de negar carne, fazer outras escolhas... Primeiro dia? Esqueci e comi um pastel de frango. Sim, eu comi. Mas me atentei ao erro e desde então não como nenhum tipo de carne. 

Não vou mentir e dizer que esta sendo fácil, porque não esta! Em domingos de churrasco, ter que comer arroz e maionese não é a coisa mais bacana do mundo (vai por mim), mas toda vez que abraço meu cachorro, sei que o esforço é digno. 

Entendam, não estou tentando converter ninguém, apenas gostaria de dividir, com vocês leitores, essa nova fase da minha vida. 

Ahhh, se liga: tá rolando no canal - Gisiele Pimel Blog - vídeos sobre minha adaptação, em estilo vlog. Se quiser acompanhar <3 

Missão #reorganizaavidaGisi



Bom, organizar uma vida agitada como a minha não será tarefa fácil. Confesso ter muitas demandas e pouco consigo organizar. Então cá estou nessa série meio louca, onde pretendo organizar a minha vida (pelo menos vou tentar).

Então, logo abaixo listarei quais são meus desejos primários, que serão o foco dessa “arrumação” de vida que pretendo fazer. Depois disso começarei a elaborar alguns planos estratégicos que me permitirão uma maior organização pessoa/profissional/educacional.

1-      Organização financeira
2-      Reeducação alimentar
3-      Aprender inglês
4-      Conciliar adequadamente as duas graduações
5-      Curso de Social Media
6-      Parar de roer unha
7-      1000 inscritos no canal
8-      Alimentação diária do blog


Bom, num primeiro momento essas são minhas principais metas. Nos próximos dias conversaremos sobre como colocarei em prática minhas estratégias. 

Uma rotina turbulenta

Oi gente, tudo bem? Olha que aparece por aqui depois de muito tempo e age como se nada tivesse acontecido. Eu mesma, Gisiele Pimel da Costa Melo. Bom, na verdade eu tenho ótimas desculpas pra demorar tanto a escrever por aqui. Minha rotina tá uma bagunça e eu preciso urgentemente arrumar ela. Mas ainda assim, são apenas desculpas. Vamos conversar um pouco sobre o peso da rotina? Vem comigo!

A vida moderna pode ser um saco as vezes, ser adolescente/recém adulto não é tarefa simples, embora muita gente ache isso. Um jovem de 20 anos de idade, por exemplo, precisa lidar com a faculdade, o trabalho, problemas familiares e sim, uma vida social. Se o jovem não estuda, ele não quer crescer na vida. Se o jovem não trabalha, ele é preguiçoso. Se o jovem não se preocupa com a casa onde vive, ele é ingrato. Se o jovem não tem vida social, ele é um esquisito e os pais se preocupam. Viram? Não é a tarefa mais fácil do mundo.

Nessa fase da vida, a gente tenta abraçar o mundo sozinhos ou desiste. Mas vamos focar em quem não desiste e leva adiante uma rotina maluca, cheia de tarefas para ocupar a mente. A verdade é que ser uma pessoa inativa (ser humano que só faz peso no mundo, o legítimo escorado), irrita muitas pessoas (eu sou uma, fico possessa com pessoas preguiçosas). Mas ainda assim, uma rotina que destrói você não é o ideal. Vou me colocar como exemplo.

Tenho 20 anos, curso duas graduações ao mesmo tempo (Jornalismo e Direito), faço um estágio de 6 horas (mas nunca apenas 6 horas), tenho um blog e o canal, lido com milhares em casa e ainda arrumo tempo para ir na Level (boate muito bacana na minha cidade). Minha rotina é uma loucura, nos últimos tempos tenho tido lapsos de memória que acabam comigo. Esqueço coisas simples, e juro que não é falta de foco. Conciliar todas as coisas que amamos e precisamos fazer é uma tarefa muito árdua. É necessário dedicação, amor e muita força de batalha. Mas amigo, eu to contigo nessa! Não se sinta sozinho.