A minha primeira crônica

23:17

 Internet para fazer bons textos e deliciosos pães
Era mais um dia normal como qualquer outro. Estava eu sentada em frente ao computador, criando conteúdo e administrando meu blog. Enquanto escrevia palavras e palavras, um rock excitante de AC DC tocava ao fundo. Mas como diz o velho ditado popular, “alegria de pobre, dura pouco”, do nada a conexão com a milagrosa internet caiu. A caixa de conversa do Facebook parou de apitar com mensagens dos amigos e colegas, a música parou de toca e o silêncio tomou conta do ambiente. As palavras escritas até então para o novo texto, se perderam no limbo ( deveria começar a usar o word).
A sensação foi tomando espaço aos poucos, primeiro tomou conta dos dedos e impediu que executassem qualquer tarefa, depois levou as mão até meu rosto e me fez suspirar de profundo desespero. Sim, a tristeza e sensação de isolamento tomaram conta. Suspira, respira, inspira, expira! O que fazer sem a tão vital conexão com o mundo?
Muitos tendém a afirmar que a internet inibi nossas habilidades de racicionio e minimiza nossa criatividade. Talvez possamos tirar proveito disso. Então resolvi escrever no Word os textos, mas quando fui em busca de informações que o completassem percebi que não havia mecanismo de busca em casa. Me dirigi até a biblioteca e fui reunindo informações. Todas elas extremamente válidas, muita coisa interessantes e algumas que não fariam muito sentindo no texto proposto. Li alguns livros que outrora seriam aproveitados, mas no momento não ajudaram em nada. Depois de algumas horas reunindo informações, chego em casa e passo minhas anotações para o documento de word. Tu indo muito bem, o texto estava ficando fenomenal. Duas horas depois, pronto! Finalmente acabado, com citações, pesquisas e muito conhecimento interligado. Restava esperar a conexão voltar.
Resolvi praticar a arte da culinária. Sempre gostei de cozinhar, creio que será um bom passatempo. Que tal fazer pão? Pensei. Me atraquei a fazer pão, mas então percebi que não tinha em casa o fermento fresco, tinha apenas o seco. E agora, como converter a medida? Sem informação decidi arriscar. Tudo sovado, agora é a hora do descanso.  Piii! Parece que o sinal da internet voltou, correria até chegar ao computador e finalmente postar o texto tão esperado e....
“O seu prazo de entrega acabou”. O post criado iria para um concurso, foi postado no blog porém devido a todo atrazo em ida a biblioteca e falta de conexão, acabei perdendo o horário. Chateada por perder uma ótima oportunidade, fui até a cozinha, coloquei o pão para assar e agora o que resta é esperar. Passaram-se cerca de cinquenta minutos quando fui experimentar minha obra prima. Qual o resultado? A medida de fermento não deu certo, o pão não cresceu, estava uma pedra.
Fico aqui pensando, internet é muito necessária. Uma chuva de informações que com uso de filtro podemos aproveitá-la muito bem. Aposto que teria entregue o post a tempo e convertido corretamente a medida de fermento, ah a internet!

Você também pode gostar

0 comentários